Uma Teia de Família


João Rodrigues was born in 1670/1680 in São Antonio, Ilha da Madeira, Portugal. He married Maria de Santo Antonio.

Maria de Santo Antonio was born in 1670/1680 in São Antonio, Ilha da Madeira, Portugal. She married João Rodrigues.

They had the following children:

  M i Manoel Rodrigues da Fonte

João de Araújo [Parents] was born in 1664 in Câmara de Lobos, Ilha da Madeira, Portugal. He was christened on 05 Jun 1664 in Igreja de São Sebastião de Câmara de Lobos. He married Simoa da Silva in 1696 in Igreja de São Sebastião de Câmara de Lobos.

Simoa da Silva [Parents] was born in 1670 in Câmara de Lobos, Ilha da Madeira, Portugal. She was christened on 02 Nov 1670 in Igreja de São Sebastião de Câmara de Lobos. She married João de Araújo in 1696 in Igreja de São Sebastião de Câmara de Lobos.


Manoel de Andrada was born in 1695/1700 in Arco da Calheta, Ilha da Madeira, Portugal. He married Luisa de Jesus Gomes on 25 Sep 1740 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta.

Luisa de Jesus Gomes [Parents] was born on 10 Feb 1714 in Lombada do Loreto no Arco da Calheta, Ilha da Madeira, Portugal. She was christened on 18 Feb 1714 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta. She married Manoel de Andrada on 25 Sep 1740 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta.

Batismo # Enos dezoito de Fevereiro de mil sete sentos e quatorze eu o Padre Joam Mendes de Araújo adjoto desta Igreja baptizei a LUISA filha de DOMINGOS GOMES, o moço, e de sua mulher LUISA DE FLORENÇA e nasceu a dez de Fevereiro foi padrinho Pedro Gonçalves de Agrella que comigo asignou este termo era mês supra // o Padre Joam Mendes Araújo // Pedro Gonçalves de Agrella// huma cruz.


João Pires was born in 1593/1597 in Arco da Calheta, Ilha da Madeira, Portugal. He married Maria Lourenço in 1613 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta.

Maria Lourenço [Parents] was born in 1597 in Florenças no Arco da Calheta, Ilha da Madeira, Portugal. She was christened on 02 May 1597 in casa paterna. She married João Pires in 1613 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta.

Batismo # Enos dois de mayo de mil quinhentos e noventa e sete, digo de mayo, baptizei, eu Antonio Afonço vigario nesta igreja de Sam Bras do Arco a MARIA filha de MANOEL (LOURENÇO) e de sua molher ANNA VIEIRA e declaro que foi baptizada em caza, foi padrinho do oficio Pedro de Florença e Constança (...).


Sebastião Gomes was born in 1600/1605 in Arco da Calheta, Ilha da Madeira, Portugal. He married Helena Lourenço in 1627 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta.

Helena Lourenço [Parents] was born in 1605 in Florenças no Arco da Calheta, Ilha da Madeira, Portugal. She was christened on 15 May 1605 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta. She married Sebastião Gomes in 1627 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta.

Batismo # Enos quinze de março de mil quinhentos e seis sentos e sinco, baptizei a ILENA filha de MANOEL LOURENÇO e de ANNA VIEIRA, sua molher, nos Florenças, foi padrinho Antonio de Florença que comigo asignou // Lopopardo de Ossuna // Antonio de Florença.


Antonio Rodrigues was born in 1610/1615 in Arco da Calheta, Ilha da Madeira, Portugal. He married Helena Rodrigues in 1641 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta.

Helena Rodrigues [Parents] was born in 1615 in Florenças no Arco da Calheta, Ilha da Madeira, Portugal. She was christened on 23 Jan 1615 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta. She married Antonio Rodrigues in 1641 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta.

Batismo # Enos vinte três dias do mês de janeiro de mil seis sentos quinze baptizei ELENA, filha de SEBASTIÃO GONÇALVES e de sua molher LEONOR RODRIGUES, foi padrinho Manoel de Florença filho de Francisco Gomes que comigo asignou // de Manoel de Florença hum signal de cruz // Lopopardo de Ossuna.


Manoel Fernandes was born in 1593/1598 in Arco da Calheta, Ilha da Madeira, Portugal. He married Ana Fernandes in 1628 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta.

Ana Fernandes [Parents] was born in 1598 in Florenças no Arco da Calheta, Ilha da Madeira, Portugal. She was christened on 01 Jan 1598 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta. She died after 1628 in Arco da Calheta, Ilha da Madeira, Portugal. She married Manoel Fernandes in 1628 in Igreja de São Brás do Arco da Calheta.

Batismo # Enos primeiro dias do mês de janeiro de mil quinhentos e noventa e outo annos fiz nesta igreja de Sam Bras do Arco o ofício dos Exorcismos e Catasismos a ANNA filha de DOMINGOS FERNANDES e de sua mulher ISABEL DIAS por ser baptizada em caza asestiram Belchior Cardozo e Maria Fernandes filha de Ignácio Fernandes digo Ignácio Gonçalves da Troncoada // Antonio Affonso // Belchior Cardozo.


Francisco de Gouveia was born in 1674 in Funchal, Ilha da Madeira, Portugal. He married Faustina de Bettencourt on 20 Oct 1694 in Igreja de São Martinho.

Casamento (L241 f38v).

Faustina de Bettencourt [Parents] was born in 1673 in São Martinho, Ilha da Madeira, Portugal. She was christened on 19 Feb 1673 in Igreja de São Martinho. She married Francisco de Gouveia on 20 Oct 1694 in Igreja de São Martinho.

Batismo (L3 f39 v) # Em os 19 dia de fevereiro de 1673 annos eu o p(adr)e Sebastiaõ Gomes de Oliveira de licença do r(everen)do vig(a)r(i)o nesta igr(ej)a de Saõ Martinho baptizei a FAUSTINA f(ilh)a de ANT(ONI)O CORREA e de GUIOMAR DE ABREU sua m(olh)er fou padrinho Valerio F(er)r(ei)ra que comigo asinou este termo dia ut supra \\ O p(adr)e Sebastiaõ Gomes de Oliveira \\ Valerio F(er)r(ei)ra.


ANTONIO Correia de Bettencourt [Parents] was born in Sep 1601 in Funchal, Ilha da Madeira, Portugal. He died on 09 Jan 1666 in São Martinho, Ilha da Madeira, Portugal.

Other marriages:
de Aguiar, Ana

Antonio Correia Bettencourt foi filho bastardo de João de Bettencour Correia, vulgo Doido, e nasceu na virada do século XVI, foi Capitão e casou-se com Dona Ana de Aguiar de quem não houve geração. Teve um filho bastardo, homônimo seu e de quem houve geração. Seu nome é citado em Felgueiras Gaio, Nobiliário de Famílias de Portugal, ttº de Betancur § 19 N 8. Em De Noronha, H. H., (Nobiliario da Ilha da Madeira (1700) in BGL, 1947, tto Correas, pg 159) consta que não deixou geração.

Óbito (L3 f8v) # Em os 9 de janeiro de 666 annos faleseo o capitam ANTONIO CORREIA BETENCOURT foi enterrado em cova sua nesta igr(ej)a de S(aõ) Martinho donde hera freguez fez testamento aprovado pelo notario Francisco da Mota Beiro cujo asento he o seguinte = Meu corpo será sepultado na igr(ej)a de S(aõ) Martinho onde sou freguez na sepultura onde esta enterrada minha molher dona ANNA DE AGUIAR ao pe do altar de Nossa Señora do Rozario que comprei por sua (...) q(ue) ANNA de (...) do serviço q(ue) e mo acompanharam dous religiosos do mesmo habito com mais coatro sacerdotes do habito e S(aõ) P(edr)o he no dia de meu falecimento mediram sendo (...) e nos meos dias seguintes (...) no altar do Bom Jezus da Sancta See e no altar de S(anto) Antonio de S(aõ) Francisco e no altar das almas da mesma ditta por (...) incemaram mais coatro bollas de (...) aspecto de esbelto e (...) declaro que seo filho Manoel de (...) de Betencourt Correia q(ue) detem em (...) he declaro mais que eu nam tenho herdeiro fora sizo que meus bens eja declarar (...) minha verdadeira herdeira de os todos meos bens (...), e (...) e minha cunhada IZABEL DE AGUIAR com obriguam de se meos e que (...) alimentar e sustentar a hum menino na idade de cinco annos e nomeia p(ar)a o dia (...) do que (...)dande seo morador e sendo pago q(ue) o menino falera annos de chegar a (...) de vinte annos (...) minha, e falecendo a dita minha cunhada antes q(ue) eu mesmo fara afirmada, que he minh vontade que (...) o vig(a)r(i)o Manoel do Couto Cardozo q(ue) seja (...) os meus bens, e de q(ue) (...) que a ditta idade de vinte annos (...) tomara a André d`Andrade o valor do que devia, neste lugar donde ser morador e nam o (...) o menino p(er)a (...) dia lhe naõ deram casa supra.
Declaro q(ue) os bens a deixar a minha cunhada digo os bens de raiz IZABEL DE AGUIAR lhos deixo em sua vida, e sendo cazo que tome a estado nam ser erdeira dos meus bens, e p(or) morte da ditta minha cunhada digo a fazenda q(ue) tenho no Sitio da Calleta a minha (...) no ditto vig(a)r(i)o Manoel do Couto Cardozo com obrigaçam de pagar, e dar foro sete mil e quinhentos reis e me aõ a hum anno (...), e sendo cazo que o dito r(everen)do vig(a)r(i)o de os dias sete mil e quinhentos reis, e moutra propriedade q(ue) bem renda os ditos sete mil e quinhentos reis e nam va a menos se lhe supram os coais sete mil e quinhentos reis deixo a confraria de Nossa S(e)ñora do Rozario com obrigaçam de me mandarem (...)maerdo-mor dizer vinte, e seis missas com seis recponços he quero q(ue) estas missas mas diga o ditto r(everen)do M(ano)el do Couto Cardozo e lhe daram de esmola q(ue) cada huä seis vinténs, e todos estas missas q(ue) deixo nam tendo eu neçessidade dellas as aplico pellas almas do purgatorio mais de dezemparadas.
Declaro q(ue) as obrigaçaõs q(ue) deixo a confraria de Nossa Sñora do Rozario da Ig(rej)a de S(aõ) Mart(inh)o sam trinta, e hua missas pagas a seis vintens as quais missas quero que se diga o ditto r(everen)do vigairo Manoel do Couto Cardozo aonde quizer, e fara seu gesto ainda q(ue) nam seja o vig(ai)ro de S(aõ) Mart(inh)o he q(ue) sua morte o dirá o vigairo de S(aõ) Mart(inh)o que for, e os mais suçessores e nam faça duida o dizer asima vinte, e seis [p(or) q(ue)] minha tençam, e vontade he deixar dittas sete mil, e quinhentas reis a ditta a confraria com esta obrigaçaõ de missionarias dizer trinta, e hua missas q(ue) he a metade do foro.
Declaro q(ue) minha molher deixou a perto de seis bens digo que deixea a sua (...) diz bens de (...) q(ue) minha morte, e de minha cunhada IZABEL DE AGUIAR e aos pobres da mizericordia he (...) racebidos os bens da raiz a confraria de Nossa Sñora do Rozario de (...) de S(aõ) Martinho meus bens sam os seguintes:
Declaro que tenho dez propriedades húa nesta freguezia de S(aõ) Mart(inh)o donde sou morador com moyo no de agua de l(..)da de produzir do q(ue) he foreira as freiras em diz mil reis em cada hum (...) tenho bem feitorias q(ue) me parterçam se a mim em serem feitas (...) do (...) minha (...) propriedade (...) da (...) rende chamam a Ladeira q(ue) a rematei na praça (...) q(ue) (...) o capitam D(oming)os G(onça)l(ve)s de Taveira nam dia era em inventario as cazas em juizo q(ue) se é de pedra e barro as (...) propriedades naõ foraõ a menos.
Declaro q(ue) ha mando do s(enho)r provedor Chistovam de Freytas vig(ai)ro (...) hum escrivaõ, e me deu (...) dezaseis q(ue) ficaram p(or) morte da dona minha molher, (...) inventario na verdade, e (...) da dita minha molher (...) M(ano)el da Sylva tabaliaõ o declaro q(ue) o ditto escrivaõ me pedio a minha firma em huá folha de papel em branco (...) firma lhe dei em conforme (...) dizer q(ue) nam podia logo o que atender o mesmo por ser tarde q(ue) sendo logo q(ue) do dito termo conste outra couza na [multha]. Nomeio p(ar)a gastos de meo enterramento q(ue) legados hua cadeia de oiro que tem sete voltas q(ue) de pezo passa de trinta mil reis eu o q(ue) na verdade (...) com huá (...).
Declaro q(ue) de minha vontade q(ue) a ditta minha cunhada IZABEL DE AGUIAR nam caze, e cazando nomeie q(ue) erdeiro dos meos bens, ao menino [And]re Dias An(dra)de os coais bens constaram por hum rol que se achara em poder do dito vigairo M(ano)el do Couto Cardozo a que se dará credito com os dittos deste testam(en)to; e nam querendo o dito menino fazer a viagem nomei por herdeiro dos ditos bens (...) a dita confraria de Nossa Snora do Rozario de S(aõ) Mart(inh)o e naõ consta o dito testam(en)to de mais q(ue pertença a esta igr(ej)a o coal tresladei fiel m(en)te e na verdade asigno in verbo sacerdotis para na verdade oie de janeiro de 666 annos. \\ O vig(a)r(i)o M(ano)el do Couto Cardozo.

Descende do Rei dos Reis Dario I da Pérsia, de Fernando I de Castela, Carlos Magno, Ramiro II das Asturias, de Addallah ibn Muhammed Sétimo Emir de Córdova, Hugo Capeto, William I o Conquistador da Inglaterra, Afonso Henriques.

He had the following children:

  M i ANTONIO Correia Bettencourt

JOÃO de Bettencourt Correia [Parents] was born in Apr 1576 in São Pedro, Ilha da Madeira, Portugal. He died on 20 May 1625 in São Pedro, Ilha da Madeira, Portugal. He married Maria de Castelo Branco in Feb 1598 in Igreja da Sé do Funchal.

Other marriages:
Gomes, FRANCISCA

João de Bettencourt Correia, cuja alcunha o Doido dispensa qualquer apresentação, nasceu em 1575/6 em São Pedro e se casou com Antónia de Castelo-Branco, filha de Fernão de Morães e Dona Maria de Castellobranco, em Fevereiro de 1598, de quem houve geração. O seu nome aparece em Felgueiras Gaio, Nobiliário de Famílias de Portugal, ttº de Betancur § 19 N 7. Logo depois de casado, teve um relacionamente extraconjugal de onde houve o Capitão Antonio Correia de Bettencourt. (Meneses Vaz, Famílias da Madeira e Porto Santo, 1964, tto Bettencour; Noronha, H. H., Nobiliario da Ilha da Madeira in BGL, 1942, tto Netos).

Óbito (L2 f46) # Em vinte de maio de 625 annos faleceo da vida prezente JOAM DE BITANCORT CORREA temdo primeiro recebidos todos os sacramentos, e feito seu testamento e condisilho foi sepultado na capella do Espirito Santo da igreja de Nossa Señora do Calhao conforme o seu testamento, pello condesilho deixou por seus testamenteiros, seus filhos ANTONIO CORREA, e JORGE CORREA e a o dito seu filho Jorje Correa deixou a sua terça e maõ da que della lhe diga em cada hu anno para sempre tres missas rezadas com reponsso sobre sua sepultura, e que falecendo dona Beatriz neta sua tia lhe facam seu enterramento e officios na forma da escriptura que lhe tem feita isto da dita terca para a quoal toma hú lugar assima de Santa Luzia e para o que faltar o em cheream em Antonia, e Izabel mulas escravas suas e em diñero e pessas douro e prata asim o diz no seu condisilho e com o emcargo que dei no testamento deixou aos pobres do ospital tres mil reis digo quoatro mil reis, e outros quoatro a confraria de Nossa Señora da Candelaria da igreja de Sam Pedro, e a confraria do Sanctissimo Sacramento, de Sam Pedro dois mil reis e lhe maõdaraõ dizer huá missa no altar do ditto Señor, e mil a confraria de Nossa Señora do Monte na sua igreja e nlla lhe diram huá missa maõda que lhe facam tres officios as hú em Nossa Señora do Calhao, outro na See outro nesta igreja de Sam Pedro donde he freges offertados cada hú cõ hú barril de viño hú saco de trigo e hú carneiro declaro mais que quando as suas casa tem de encargos des missas rezadas em cada hú anno pella alma de FRANCISCA GOMES maõda que lhas digam e que se encabecem as ditas casa em seu filho morgado ANTONIO CORREA BITANCURT, estas cousas e outras mais dice em seu testamento e condisilho a que me reporto os quoais en en(...)iaõ escrivaõ digo notairo que serve o officio que foi de Francisco Correa Cavalho (?) o aprovar e pertencerem a seu cartorio que tem e serve Manoel Henriques da Silva e por verdade fiz hassinei este termo hoje vinte hú de maio de 625 annos \\ Manoel de Carvalho Teixeira.

Descende do Rei dos Reis Dario I da Pérsia, de Fernando I de Castela, Carlos Magno, Ramiro II das Asturias, de Addallah ibn Muhammed Sétimo Emir de Córdova, Hugo Capeto, William I o Conquistador da Inglaterra, Afonso Henriques.

Maria de Castelo Branco [Parents] was born in 1575/1580 in Funchal, Ilha da Madeira, Portugal. She died in Dec 1610 in Funchal, Ilha da Madeira, Portugal. She married JOÃO de Bettencourt Correia in Feb 1598 in Igreja da Sé do Funchal.

They had the following children:

  F i Maria de Castelo Branco
  M ii Jorge de Bettencourt Correia was born in 1604/1609 in Funchal, Ilha da Madeira, Portugal.

Foi testamenteiro de seu pai.

Home First Previous Next Last

Surname List | Name Index