Uma Teia de Famílias


JOÃO Rodrigues de Sá [Parents] "o das Galés" was born in 1355 in Porto, Distrito do Porto, Portugal. He died in 1425 in Porto, Distrito do Porto, Portugal. He married ISABEL Lopes Pacheco in 1375/1380.

Other marriages:
Rodrigues Machado, Maria

João Rodrigues de Sá foi alcaide-mor do Porto e 1° senhor (1384.III.29) de juro e herdade de Sever e Barreiro, de Castro e Daire (1385.VIII.25) e de Neiva (1386.I.24). Lutou no cerco a Lisboa (1384) imposto por D. João I de Castela. Ao vencer um embate naval contra galés castelhanas, recebeu o apelido de O das Galés. Lutou na batalha de Aljubarrota (1385.VIII.14) e na reconquista de Guimarães. Em 1386, D. João I de Portugal o nomeou como camareiro-mor, cargo que passou aos descendentes. Foi embaixador em Roma, quando das negociações do casamento de D. João I que era meste e cavaleiro da Ordem de Avis, e que o impedia de se casar. Em 1387 (02.III) sucedeu a seu pai como 2° senhor de Gaia e depois (1391.VIII.08) como 1° senhor de Castelo do Lindoso. Em 1392 (21.II) foi nomeado como alcaide-mor do Porto, que efetivamente depois da renuncia, ao preço de 3000 libras do bispo Gil Alma. Também foi governador de Entre Douro e Minho (1397) e finalmente 1° senhor de Bouças (1399.II.18). (fonte: wikipedia.org in João Rodrigues de Sá, o das Galés). É citado por Clode (1952, pg. 49). Ao enviuvar casou-se novamente com Maria Rodrigues Machado.

ISABEL Lopes Pacheco [Parents] was born in 1355/1360 in Porto, Distrito do Porto, Portugal. She married JOÃO Rodrigues de Sá in 1375/1380.

They had the following children:

  M i GONÇALO de Sá
  M ii FERNÃO de Sá
  M iii HENRIQUE de Sá

RODRIGO Anes de Sá [Parents] was born in 1325/1330 in Porto, Distrito do Porto, Portugal. He died after 1378 in Porto, Distrito do Porto, Portugal. He married CECÍLIA Julia Sciarra Colona in 1354 in em uma igreja de Roma.

Rodrigo Anes de Sá foi alcaide no tempo de Pedro I de Portugal (*1320,r1357,+1367), senhor de Vila Nova de Gaia (Distrito do Porto) no tempo de Fernando I de Portugal (*1345,r1367,+1383) e embaixador português em Roma na corte de Gregório XI (p1370,+1378). (fonte: wkipedia.org in Rodrigo Anes de Sá).

CECÍLIA Julia Sciarra Colona [Parents] was born in 1335/1340 in Roma, Região do Lácio, Itália. She died after 1370 in Porto, Distrito do Porto, Portugal. She married RODRIGO Anes de Sá in 1354 in em uma igreja de Roma.

They had the following children:

  M i JOÃO Rodrigues de Sá
  M ii Paio Rodrigues de Sá was born in 1368/1373 in Porto, Distrito do Porto, Portugal.
  F iii ALDONÇA Rodrigues de Sá

DIOGO Lopes Pacheco was born about 1330 in Porto, Distrito do Porto, Portugal. He married JOANA Vasques.

Fim de Linha.

JOANA Vasques was born about 1330 in Distrito de Porto, Portugal. She married DIOGO Lopes Pacheco.

Fim de Linha.

They had the following children:

  F i ISABEL Lopes Pacheco

Henrique de Bettencourt [Parents] was born in 1470/1472 in Vila Franca do Campo, Ilha de São Miguel dos Açores, Portugal. He died in 1539/1540 in Ponta Delgada, Ilha de São Miguel dos Açores, Portugal. He married Maria de Azevedo in Igreja de São Sebastião.

O primeiro filho legítimo, chamado Henrique de Betancor, andou no Paço com boas moradias, servindo a el-Rei D. Manuel, ao qual o mesmo Rei fez mercê das saboarias destas ilhas; casou com D. Maria de Azevedo, filha de Manuel de Oliveira, estribeiro mor do Cardeal, e teve uma filha que casou com D. Álvaro de Luna, filho de D. Pedro de Gusmão, castelhano, que foi um dos cabeças das comunidades, e faleceu ela sem haver dentre eles mais filhos. (Gaspar Fructuoso, Saudades da Terra, Livro IV, Cap. IX). A este Henrique D. Manoel fez mercê das saboarias da Ilha da Madeira que foram de seu pai, que as havia nomeado a outro filho deste chamado João. Consta do Livro do Foral das Ilhas a f. 132 ano de 1511 (De Noronha, H. H., Nobiliario da Ilha da Madeira (1700) in BGL, 1947, tto Bettencourts Sás)

Maria de Azevedo [Parents] was born about 1475 in Évora, Distrito de Évora, Portugal. She married Henrique de Bettencourt in Igreja de São Sebastião.


Manoel de Oliveira de Azevedo was born about 1450 in Évora, Distrito de Évora, Portugal.

Foi Estribeiro Mor do Cardeal D. Henrique (De Noronha, H. H., Nobiliario da Ilha da Madeira (1700) in BGL, 1947, tto Bettencourts Sás)

He had the following children:

  F i Maria de Azevedo

Pedro Lasso da Veiga was born about 1470 in Reino de Castela, Espanha. He died in Reino de Castela, Espanha. He married Beatriz de Bettencourt de Sá.

Other marriages:
de Bettencourt de Sá, Isabel

Beatriz de Bettencourt de Sá [Parents] was born in 1472/1474 in Penas d'Água de Mel em São Roque, Ilha da Madeira, Portugal. She married Pedro Lasso da Veiga.

Era Dama da infanta D. Isabel (De Noronha, H. H., Nobiliario da Ilha da Madeira (1700) in BGL, 1947, tto Bettencourts Sás). Se criou com el-Rei D. João III, e foi para Castela com a Princesa de Portugal, quando se casou com o Imperador Carlos V e no caminho, sendo muito privada da princesa, D. Pedro de Lasso da Veiga, que fora nas comunidades de Castela com D. Pedro Girão e D. João Padilha, andando fora da graça do dito imperador, que por este caso lhe tinha tomado sua fazenda e alcaidarias, e todo seu senhorio, vendo que pela privança de D. Beatriz poderia ser restaurado, teve inteligência de casar com ela, o que se efectuou. E por ela lhe foram tornadas as vilas dos Arcos, Bactles e Corquos, e outras de que dantes era senhor. Sem geração.


Antonio Juzarte de Mello [Parents] was born about 1470 in Évora, Distrito de Évora, Portugal. He married Guiomar de Sá.

Guiomar de Sá [Parents] was born in 1473/1475 in Penas d'Água de Mel em São Roque, Ilha da Madeira, Portugal. She died after 1520 in Ponta Delgada, Ilha de São Miguel nos Açores, Portugal. She was buried in Capela de S. Francisco de Ponta Delgada. She married Antonio Juzarte de Mello.

Other marriages:
de Castro, Fernando
Juzarte, Diogo

Também foi Dama de D. Isabel (De Noronha, H. H., Nobiliario da Ilha da Madeira (1700) in BGL, 1947, tto Bettencourts Sás).
Outra filha teve Gaspar de Betencor de sua mulher, chamada D. Guiomar de Sá, como sua mãe, que casou com António Juzarte de Melo, fidalgo, natural de Évora, a que deu em casamento quinhentos mil reis, que naquele tempo era muito dinheiro, pelo pouco que havia
Perdeu-se António Juzarte de Melo em uma armada que fez o marquês de Ayamonte ao Rio da Prata, por naquele tempo viver no dito lugar de Ayamonte e andar fora do Reino de Portugal, por razão de um corregedor que matou quase na face do Rei, que dele lhe tinha dado seguro real. Houve D. Guiomar do dito António Juzarte de Melo quatro filhas, as quais todas foram para o Reino de Castela a servir a Imperatriz de suas damas, por razão da valia de sua tia D. Isabel, irmã de sua mãe, de que já fica dito que as adquiriu lá e lhe deu os dotes, e casou algumas: uma, chamada D. Breatiz está em Toledo, freira professa da ordem de Santiago, e prioresa muitas vezes; outra, chamada D. Maria, foi casada com D. Francisco de Cisneiros, padroeiro dos estudos de Alcalá, os quais fundou o arcebispo de Toledo, seu tio, e senhor de catorze mil cruzados de renda, do qual houve a dita D. Maria, que é já falecida, três filhos e duas filhas, damas do paço, hoje em dia. Outra, chamada D. Guiomar, casou com Luís Vanhegas, aposentador-mor de el-Rei Filipe, que veio por embaixador a este Reino de Portugal e foi estribeiro-mor da Rainha, última mulher do mesmo Rei, por ser enviado a Boémia a tratar este casamento e trazer, como trouxe, a Rainha a Castela do mesmo Reino de Boémia, onde comeu com o Imperador por razão da embaixada que levava; do qual tem D. Guiomar cinco filhos, entre machos e fêmeas, eles com boas e ricas comendas de Santiago. Outra filha de António Juzarte de Melo e de D. Guiomar de Sá, chamada D. Isabel, por não terem nesta ilha tanta renda, a queriam casar aqui com Rui Gago da Câmara, e ele não quis pelo pouco dote que tinha; e Deus que faz de pobres ricos, e de pequenos grandes, e sabe com quem reparte seus dons, e quem melhor os merece, ordenou como fosse levada a Castela, e por ser a dita D. Isabel muito grave e formosa, e de grande virtude, casou lá com D. João Colomo, viso-Rei da ilha Cerdenha que agora é conde de Lhoas, em Valença, e tem nove contos de renda; do qual tem catorze filhos e filhas. De modo que por todos tem agora D. Guiomar de Sá, mulher de António Juzarte de Melo, destas ditas três filhas, vinte e oito netos em Castela. A qual D. Guiomar de Sá, falecido António Juzarte de Melo, casou com D. Fernando de Crasto, de que não houve filhos, e faleceu nesta ilha e está enterrada na capela-mor do mosteiro de S. Francisco da cidade da Ponta Delgada, onde deixou sua capela e um moio de trigo, para sempre, de renda cada ano aos Lázaros desta ilha. Era seu administrador António de Sá seu sobrinho. (Gaspar Fructuoso, Saudades da Terra, Livro IV, Cap IX).


Pedro Juzarte was born about 1445 in Évora, Distrito de Évora, Portugal. He married Maria de Castro.

(De Noronha, H. H., Nobiliario da Ilha da Madeira (1700) in BGL, 1947, tto Bettencourts Sás)

Maria de Castro was born about 1445 in Évora, Distrito de Évora, Portugal. She married Pedro Juzarte.

They had the following children:

  M i Antonio Juzarte de Mello

Fernando de Castro was born about 1470 in (...), Portugal. He married Guiomar de Sá.

Guiomar de Sá [Parents] was born in 1473/1475 in Penas d'Água de Mel em São Roque, Ilha da Madeira, Portugal. She died after 1520 in Ponta Delgada, Ilha de São Miguel nos Açores, Portugal. She was buried in Capela de S. Francisco de Ponta Delgada. She married Fernando de Castro.

Other marriages:
Juzarte de Mello, Antonio
Juzarte, Diogo

Também foi Dama de D. Isabel (De Noronha, H. H., Nobiliario da Ilha da Madeira (1700) in BGL, 1947, tto Bettencourts Sás).
Outra filha teve Gaspar de Betencor de sua mulher, chamada D. Guiomar de Sá, como sua mãe, que casou com António Juzarte de Melo, fidalgo, natural de Évora, a que deu em casamento quinhentos mil reis, que naquele tempo era muito dinheiro, pelo pouco que havia
Perdeu-se António Juzarte de Melo em uma armada que fez o marquês de Ayamonte ao Rio da Prata, por naquele tempo viver no dito lugar de Ayamonte e andar fora do Reino de Portugal, por razão de um corregedor que matou quase na face do Rei, que dele lhe tinha dado seguro real. Houve D. Guiomar do dito António Juzarte de Melo quatro filhas, as quais todas foram para o Reino de Castela a servir a Imperatriz de suas damas, por razão da valia de sua tia D. Isabel, irmã de sua mãe, de que já fica dito que as adquiriu lá e lhe deu os dotes, e casou algumas: uma, chamada D. Breatiz está em Toledo, freira professa da ordem de Santiago, e prioresa muitas vezes; outra, chamada D. Maria, foi casada com D. Francisco de Cisneiros, padroeiro dos estudos de Alcalá, os quais fundou o arcebispo de Toledo, seu tio, e senhor de catorze mil cruzados de renda, do qual houve a dita D. Maria, que é já falecida, três filhos e duas filhas, damas do paço, hoje em dia. Outra, chamada D. Guiomar, casou com Luís Vanhegas, aposentador-mor de el-Rei Filipe, que veio por embaixador a este Reino de Portugal e foi estribeiro-mor da Rainha, última mulher do mesmo Rei, por ser enviado a Boémia a tratar este casamento e trazer, como trouxe, a Rainha a Castela do mesmo Reino de Boémia, onde comeu com o Imperador por razão da embaixada que levava; do qual tem D. Guiomar cinco filhos, entre machos e fêmeas, eles com boas e ricas comendas de Santiago. Outra filha de António Juzarte de Melo e de D. Guiomar de Sá, chamada D. Isabel, por não terem nesta ilha tanta renda, a queriam casar aqui com Rui Gago da Câmara, e ele não quis pelo pouco dote que tinha; e Deus que faz de pobres ricos, e de pequenos grandes, e sabe com quem reparte seus dons, e quem melhor os merece, ordenou como fosse levada a Castela, e por ser a dita D. Isabel muito grave e formosa, e de grande virtude, casou lá com D. João Colomo, viso-Rei da ilha Cerdenha que agora é conde de Lhoas, em Valença, e tem nove contos de renda; do qual tem catorze filhos e filhas. De modo que por todos tem agora D. Guiomar de Sá, mulher de António Juzarte de Melo, destas ditas três filhas, vinte e oito netos em Castela. A qual D. Guiomar de Sá, falecido António Juzarte de Melo, casou com D. Fernando de Crasto, de que não houve filhos, e faleceu nesta ilha e está enterrada na capela-mor do mosteiro de S. Francisco da cidade da Ponta Delgada, onde deixou sua capela e um moio de trigo, para sempre, de renda cada ano aos Lázaros desta ilha. Era seu administrador António de Sá seu sobrinho. (Gaspar Fructuoso, Saudades da Terra, Livro IV, Cap IX).


Diogo Juzarte [Parents] was born about 1475 in (....), Ilha da Madeira, Portugal. He married Guiomar de Sá.

Guiomar de Sá [Parents] was born in 1473/1475 in Penas d'Água de Mel em São Roque, Ilha da Madeira, Portugal. She died after 1520 in Ponta Delgada, Ilha de São Miguel nos Açores, Portugal. She was buried in Capela de S. Francisco de Ponta Delgada. She married Diogo Juzarte.

Other marriages:
Juzarte de Mello, Antonio
de Castro, Fernando

Também foi Dama de D. Isabel (De Noronha, H. H., Nobiliario da Ilha da Madeira (1700) in BGL, 1947, tto Bettencourts Sás).
Outra filha teve Gaspar de Betencor de sua mulher, chamada D. Guiomar de Sá, como sua mãe, que casou com António Juzarte de Melo, fidalgo, natural de Évora, a que deu em casamento quinhentos mil reis, que naquele tempo era muito dinheiro, pelo pouco que havia
Perdeu-se António Juzarte de Melo em uma armada que fez o marquês de Ayamonte ao Rio da Prata, por naquele tempo viver no dito lugar de Ayamonte e andar fora do Reino de Portugal, por razão de um corregedor que matou quase na face do Rei, que dele lhe tinha dado seguro real. Houve D. Guiomar do dito António Juzarte de Melo quatro filhas, as quais todas foram para o Reino de Castela a servir a Imperatriz de suas damas, por razão da valia de sua tia D. Isabel, irmã de sua mãe, de que já fica dito que as adquiriu lá e lhe deu os dotes, e casou algumas: uma, chamada D. Breatiz está em Toledo, freira professa da ordem de Santiago, e prioresa muitas vezes; outra, chamada D. Maria, foi casada com D. Francisco de Cisneiros, padroeiro dos estudos de Alcalá, os quais fundou o arcebispo de Toledo, seu tio, e senhor de catorze mil cruzados de renda, do qual houve a dita D. Maria, que é já falecida, três filhos e duas filhas, damas do paço, hoje em dia. Outra, chamada D. Guiomar, casou com Luís Vanhegas, aposentador-mor de el-Rei Filipe, que veio por embaixador a este Reino de Portugal e foi estribeiro-mor da Rainha, última mulher do mesmo Rei, por ser enviado a Boémia a tratar este casamento e trazer, como trouxe, a Rainha a Castela do mesmo Reino de Boémia, onde comeu com o Imperador por razão da embaixada que levava; do qual tem D. Guiomar cinco filhos, entre machos e fêmeas, eles com boas e ricas comendas de Santiago. Outra filha de António Juzarte de Melo e de D. Guiomar de Sá, chamada D. Isabel, por não terem nesta ilha tanta renda, a queriam casar aqui com Rui Gago da Câmara, e ele não quis pelo pouco dote que tinha; e Deus que faz de pobres ricos, e de pequenos grandes, e sabe com quem reparte seus dons, e quem melhor os merece, ordenou como fosse levada a Castela, e por ser a dita D. Isabel muito grave e formosa, e de grande virtude, casou lá com D. João Colomo, viso-Rei da ilha Cerdenha que agora é conde de Lhoas, em Valença, e tem nove contos de renda; do qual tem catorze filhos e filhas. De modo que por todos tem agora D. Guiomar de Sá, mulher de António Juzarte de Melo, destas ditas três filhas, vinte e oito netos em Castela. A qual D. Guiomar de Sá, falecido António Juzarte de Melo, casou com D. Fernando de Crasto, de que não houve filhos, e faleceu nesta ilha e está enterrada na capela-mor do mosteiro de S. Francisco da cidade da Ponta Delgada, onde deixou sua capela e um moio de trigo, para sempre, de renda cada ano aos Lázaros desta ilha. Era seu administrador António de Sá seu sobrinho. (Gaspar Fructuoso, Saudades da Terra, Livro IV, Cap IX).

Home First Previous Next Last

Surname List | Name Index