Uma Teia de Famílias


Antônio Henrique de Carvalho was born about 1805 in Resende, Rio de Janeiro, Brasil. He died after 1856 in Resende, Rio de Janeiro, Brasil. He married Maria Angélica da Paixão de Resende.

Maria Angélica da Paixão de Resende was born about 1805 in Resende, Rio de Janeiro, Brasil. She died after 1856 in Resende, Rio de Janeiro, Brasil. She married Antônio Henrique de Carvalho.

They had the following children:

  M i Cassiano José de Carvalho

Antônio Lopes de Camargo [Parents] was born in 1842/1847 in Silveiras, São Paulo, Brasil. He married Ana Esmeralda de Jesus Lopes de Carvalho on 4 Jul 1867 in Igreja de NS da Conceição de Silveiras.

DATA: 04-07-1867:14h LOCAL: Igreja de NS da Conceição de Silveiras LIVRO: L2 f128v NOIVOS: Antônio Lopes de Camargo e Ana Esmeralda de Jesus, nts. de Silveiras. PAIS DO NOIVO: José Beraldo Camargo e Antônia Maria de Jesus (++) PAIS DA NOIVA: Antônio Lopes das Lavras (++) e Ana Francisca de Carvalho

Ana Esmeralda de Jesus Lopes de Carvalho [Parents] was born in 1847/1852 in Silveiras, São Paulo, Brasil. She married Antônio Lopes de Camargo on 4 Jul 1867 in Igreja de NS da Conceição de Silveiras.


José Beraldo Camargo was born about 1810 in (Silveiras), São Paulo, Brasil. He died after 1867 in Silveiras, São Paulo, Brasil. He married Antônia Maria de Jesus de Silveiras.

Antônia Maria de Jesus de Silveiras was born about 1810 in (Silveiras), São Paulo, Brasil. She died before 1867 in Silveiras, São Paulo, Brasil. She married José Beraldo Camargo.

They had the following children:

  M i Antônio Lopes de Camargo

Living

Living [Parents]


Luís Francisco Marques was born about 1865 in Portugal. He married Maria Guilhermina Nunes Machado.

Maria Guilhermina Nunes Machado [Parents] was born about 1865 in Mimoso do Sul, Espírito Santo, Brasil. She married Luís Francisco Marques.

They had the following children:

  M i Manoel Nunes Marques

JOSÉ Viveiros Branco was born about 1840 in Portugal. He died before 1881 in Conceição da Boa Vista em Recreio, Minas Gerais, Brasil. He married CAROLINA JACINTA de Jesus.

José Viveiro Branco certamente era portugues migrado para o Brasil e onde se casou. Há um certo Luís Branco Viveiros também de Portugal continental e um de seus filhos aparece nos registros de Leopoldina/MG pouco depois do período conhecido como Grande Imigração. O que se sabe dele veio de lendas familiares. Ele teria nascido por volta de 1850 em Portalegre, no Alentejo e sua mãe seria de Setúbal. (Nilza Cantoni por e-mail 12/05/2020).

Ainda segundo Nilza:

Só tenho referências ao seu José Viveiros Branco no segundo casamento da mulher dele e acredito que ela faça parte do grupo de migrantes que atravessaram o Paraíba do Sul em busca de melhores condições na margem esquerda. Não sei se vc sabe como se deu a ocupação daquele pedaço da zona da mata mineira. Começou no final do século XVIII com as diligências para destruir o Descoberto do Mão de Luva. A travessia foi pela altura do atual município de Além Paraíba e deu início ao trânsito frequente entre as duas margens. E como Leopoldina se tornou um município rico, tivemos muita migração de pessoas da outra margem na segunda metade do XIX. Por outro lado, os proprietários de Leopoldina também investiram em terras então pertencentes a Cantagalo. Os livros paroquiais do lado mineiro, da segunda metade dos oitocentos, trazem inúmeros assentos envolvendo descendentes dos suíços que chegaram a Nova Friburgo em 1819-1820.

Por volta de 1880, começou o êxodo para o norte-nordeste fluminense e norte da zona da mata mineira. Como a terra em Leopoldina era mais valorizada, os que tinham menor poder aquisitivo não conseguiam se estabelecer em seu território. Quando a Estrada de Ferro Leopoldina encampou a Alto-Muriahé, os mais pobres tiveram oportunidade de emprego e as famílias começaram a migrar no trajeto da Estrada de Ferro. Observe que a Estrada de Ferro Leopoldina tem este nome porque foi criada com capitais dos fazendeiros de Leopoldina e a Alto-Muriahé foi fundada por um fazendeiro leopoldinense. Então, antes de se tornar Leopoldina Railway, com capitais ingleses, a ferrovia já tinha importante papel no desenvolvimento econômico e ocupação territorial especialmente nos limites entre as então províncias de Minas e do Rio.

Uma hipótese para ser analisada. O segundo marido de Carolina era filho de uma família de posses. Na década de 1880, o pai morreu e ele teve acesso à legítima que bem pode ter lhe dado condições de investir do outro lado do Paraíba do Sul.

Registro de um casal com nome similiar ao de José Viveiros e Carolina:

Há um casal quase homônimo com matrimônio em Cantagalo com nome bem similar:

Casamento (L2 f13 #21) # No primeiro de outubro de mil oito centos e cincoenta e nove, nesta freguesia do Santissimo Sacramento na cidade de Cantagalo, depois de admoestados, sem impedimento, e legalmente habilitados, em minha presença, e das testemunhas abaixo asignadas, se-receberão em matrimonio, por palavras de presente, na forma do Sagrado Concilio Tridentino, e Constituição do Bispado, LUIZ JOSÉ DE VIVEIROS, natural e baptizado na freguesia da Bertanha, na Ilha de São Miguel, filho legitimo de JOSE DE VIVEIROS, e MARIA FRANCISCA, e CAROLINA MARIA DE JESUS, natural e baptizado nesta freguesia, onde ambos residem, filha legitima de VICENTE FERREIRA DIAS, e HELENA MARIA DE JESUS: e logo lhes dei as bençãos em forma do Ritual Romano. \\ O Vigario José Antonio de Oliveira Pereira Leitão \\ Jose Francisco de Oliveira \\ Braz Leão Guartim.

Este casal não teve filhos em Cantagalo, o que pode ser um indicio de que foram para outra localidade. Mas ainda não tenho base para faze-los os mesmos que o citados em tela. Vale lembrar que Rufina Jacinta, nasceu em Sumidouro, à epoca dependente de Cantagalo.

Citação deste casal Luís José e Jacinta Maria: https://www.genealogiabrasileira.com/cantagalo/cantagalo_ferrdias.htm

CAROLINA JACINTA de Jesus was born in 1849 in Sumidouro, Rio de Janeiro, Brasil. She died after 1906 in Conceição da Boa Vista em Recreio, Minas Gerais, Brasil. She married JOSÉ Viveiros Branco.

Other marriages:
Vital de Morais Junior, Felicíssimo

Carolina seguramente se casou ainda em tenra idade. No registro de seu segundo casamento, ocorrido em 1906, porém já unida a seu segundo marido pelo menos desde 1881, consta que ela nasceu em 1849 em Sumidouro/RJ. (e-mail: Nilza Cantonia - 06/05/2020).

Filiação sugerida.

They had the following children:

  F i RUFINA JACINTA DA CONCEIÇÃO Silva

Jades Nunes Marques [Parents] was born on 22 Jul 1924 in Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, Brasil. He died on 10 Nov 2001 in Curitiba, Paraná, Brasil. The cause of death was Insuficiência respiratória. He married Nilza Zeferino da Silva.

Era primo em segundo grau de sua esposa.

Nilza Zeferino da Silva [Parents] was born on 26 Mar 1923 in Mimoso do Sul, Espírito Santo, Brasil. She died on 5 Mar 2012 in Curitiba, Paraná, Brasil. She married Jades Nunes Marques.

Fonte: Geni.org in Dorvalina Machado Zeferino (org. Enio Augusto Trzeciak Marques 2010)

They had the following children:

  M i Living

Manoel Nunes Marques [Parents] was born on 5 Jun 1896 in Miracema, Rio de Janeiro, Brasil. He died in 1975 in Marialva, Paraná, Brasil. He married Carlota Ferreira Marques.

Fonte: Geni.com por Enio Nunes Marques 2010.

Carlota Ferreira Marques [Parents] was born on 25 Mar 1898 in (...), Rio de Janeiro, Brasil. She died in 1993 in Marialva, Paraná, Brasil. She married Manoel Nunes Marques.

They had the following children:

  M i Jades Nunes Marques

Joaquim Ferreira dos Santos was born about 1865 in (...), Rio de Janeiro, Brasil. He married Ana Gama Ferreira.

Fonte: Geni.com por Enio Nunes Marques 2010.

Ana Gama Ferreira was born about 1865 in (...), Rio de Janeiro, Brasil. She married Joaquim Ferreira dos Santos.

They had the following children:

  F i Carlota Ferreira Marques

Antônio Galvão de França [Parents] was born in 1830/1835 in Embaú (Cruzeiro), São Paulo, Brasil. He died before 1881 in Embaú (Cruzeiro), São Paulo, Brasil. He married Guilhermina Galvão Freire on 15 May 1852 in Igreja de NS Conceição do Embaú .

Other marriages:
da Motta, Benedita Maria Deolinda

DATA: 15-05-1852:14h LOCAL: Igreja de NS Conceição do Embaú LIVRO: L1 f007v NOIVOS: Antônio Galvão Freire e Guilhermina Galvão Freire, nts. de Embaú PAIS DO NOIVO: Ict. e Maria Gertrudes Bueno PAIS DA NOIVA: Manoel Galvão de Siqueira e Ana Eugênia França NOTA: Impedimento de 2° de consanguinidade misto ao 1° de afinidade em linha transversal.

DATA: 05-02-1856 LOCAL: Igreja de S. José do Barreiro LIVRO: L1 f027 NOIVOS: Antônio Galvão de França e Benedita Maria Deolinda, nat. de Cunha. PAIS DA NOIVA: Egídio José da Motta e Maria Jacinta França NOTA: O noivo viúvo de Guilhermina Galvão de França, sepultada em Embaú, onde ele reside.

Guilhermina Galvão Freire [Parents] was born in 1838/1839 in Embaú (Cruzeiro), São Paulo, Brasil. She died before 1856 in Embaú (Cruzeiro), São Paulo, Brasil. She married Antônio Galvão de França on 15 May 1852 in Igreja de NS Conceição do Embaú .

Home First Previous Next Last

Surname List | Name Index