Uma Teia de Família


José Galvão de Siqueira [Parents] was born in 1803 in Cunha, São Paulo, Brasil. He died after 1868 in Ponte Nova em Cunha, São Paulo, Brasil. He married Senhorinha Claudina de Siqueira on 09 Dec 1834 in No oratório da Faz. Pedra Branca.

DATA: 09-12-1834 LOCAL: Oratório da Faz. Pedra Branca LIVRO: L4 f157 NOIVOS: José Galvão de Siqueira e Senhorinha Claudina PAIS DO NOIVO: Alf. José Galvão de Siqueira e Ana Celidônia Pinto dos Santos (++) NOTA: A noiva exposta que foi ao finado Gda.-mor Manoel Lopes Monteiro. No assento origina consta que a mãe do noivo chamava-se Ana Zelinda dos Santos, na verdade era Ana Celidônia Pinto dos Santos. Testemunhas Alf. José Gomes dos Santos Pinto e Manoel Pinto dos Santos

(Rosa, M. B., Antigos Registros de Casamento do Vale Histórico Paulista, Vol 1, 2017)

Era lavrador no Bairro da Ponte Nova e na Sesmaria da Serra (Cunha), também era conhecido como José Galvão dos Santos França (Marcondes de Moura, Os Galvão de França, v1, 1972, pp 217). Descende do Rei dos Reis Dario I da Pérsia, de Fernando I de Castela, Carlos Magno, Ramiro II das Asturias, de Addallah ibn Muhammed Sétimo Emir de Córdova, Hugo Capeto, William I o Conquistador da Inglaterra, Afonso Henriques e de João Gonçalves Zarco, descobridor da Ilha da Madeira.

Senhorinha Claudina de Siqueira was born in 1802 in Cunha, São Paulo, Brasil. She died in 1859 in Ponte Nova em Cunha, São Paulo, Brasil. She married José Galvão de Siqueira on 09 Dec 1834 in No oratório da Faz. Pedra Branca.

Possivelmente é ela que aparece como agregada à casa de Teodóra Maria de Siqueira, viúva de Francisco Pinto dos Santos. Ela foi exposta, isto é entregue para criar, ao Guarda mor Manoel Lopes Monteiro (Maços de População, Arquivo do Estado de São Paulo, Cunha, 1825, pp 74, # 99; 1830, pp 96, # 20).

Inventario em Cunha (Museu Francisco Veloso em Cunha, Cx 36, 1859) e testamento transcrito em 1868 (Cx 42, f4ss) como segue: Em nome da Santíssima Trindade, Padre, Filho e Espírito Santo, com cuja fé tenho vivido, e pretendo morrer. Eu Senhorinha Claudina de Siqueira, natural, e baptizada n’esta cidade de Cunha, cazada em legitimo matrimonio com José Galvão dos Santos França, tres filho, Joaquim, Anna e Joze, vendo-me gravemente enferma, em lugar ermo, distante das authoridades judiciais, determino fazer meu testamento (nuse)cupativo, declarando n’elle a minha ultima vontade cujas disposição, são as seguintes: Nomeio, peço e rogo que sejão meos testamenteiros em primeiro lugar, meo marido Jozé Galvão dos Santos França, sem segundo lugar meo irmão José Joaquim de Siqueira, em terceiro lugar meo filho Joaquim; qualquer d’elles pelo conceito que de cada um faço os authorizo para cumpri as minhas disposiçoes, e não serem obrigados pelo juizo a dar contas prestando tão somente juramento que assim cumprido. Meu enterro será feito segundo a vontade de meo testamenteiro, podendo ser como irman de Nossa Senhora das Dorês, como irman que sou. Meo testamenteiro dará de esmola aos pobres aquillo que as circunstancias permettir e puder; mandará dizer por minha alma uma capella de missas. Deixo à meo filho Joaquim, o crioulinho Domingos, á meo filho Jozé, Moysés, e a minha filha Anna a creoula Marcelina, deixo mais a negra Joaquina mãe d’esses crioulinhos a meo filho Joaquim, tomando conta d’ella, e se no espaço de seis annos elle perder o vicio de beber aguardente, lhe passe carta de liberdade; O creoulo Thomé deixo para servir á meo marido durante a vida do dito meo marido por morte d’este ficará liberto, esperando n’elle que acompanhará sempre meo filhos; e d’esta forma que disponho este meo testamento, que pedi ao padre Francisco Pinto de Siqueira, que por mim este figesse, declarando mais que faço doaçaõ á Cazemiro Antonio Rodrigues Vilella e sua mulher Maria França o terreno da divisa d’onde vão morar, do corrego para a Estrada Velha, que é a divisa pelo corrego abaixo de’a primeira, e d’ahi confrontando ao dito da Estrada Velha, com a condição quando queirão para o futuro se desfazer d’esse lugar, não venderão a outra pessoa de fora mas sim aos possuidores d’esta fazenda, a que pedi ao dito padre que por mim fizesse, e eu só assignei meo nome a vista das testemunhas que tambem assignarão. Ponte Nova dous de janeiro de mil oito cento e cincoenta e nove. Senhorinha Claudina de Siqueira. Como testemunhas que este fiz o padre Francisco Pinto de Siqueira = Luiz Antonio Galvão = Pedro Gomes de Siqueira = Jozé Pereira de Araujo Caldas = Theodoro Monteiro dos Santos Pinto = Jozé Pinto dos Santos Leite = Jozé Vaz Pinto Vilella = Antonio Estevão de Carvalho = Numero um = cento e sessenta reis = Pagou cento e sessenta reis. Cunha doze de março de mil oitocentos e cincoenta e nove = Monteiro Silva = França Freire..

They had the following children:

  M i Joaquim Galvão dos Santos França
  F ii Ana Celidônia de Siqueira
  M iii José Rodrigues Galvão

José Galvão de Siqueira França [Parents] was born in 1777 in Cunha, São Paulo, Brasil. He died in 1845 in Pico Agudo em Cunha, São Paulo, Brasil. He married Joaquina Zelinda de Siqueira in 1809.

Other marriages:
Pinto dos Santos, Ana Celidônia

Casamento (L2 f 85v) # JOSÉ GALVÃO FREIRE, n. e bat. em Cunha, fº de Félix Gomes de Siqueira e de Ana Joaquina França, com ANA CELIDÔNIA, n. e bat. em Cunha, fª de Francisco Pinto dos Santos, f., e de Dona Teodora Maria de Siqueira. Tt.: Rev. Pedro José dos Reis e o Sargento Mor Inácio de Loyola Freire. Vigário Colado Antônio Galvão Freire – 3-JUN-1802.

Data 03-06-1802:td Local Igreja de NS da Conceição de Cunha Livro L3 f085v
Nubentes Alf. José Galvão Freire e Ana Celidônia, nts. de Cunha.
Pais do Noivo Félix Gomes de Siqueira (++) e Ana Joaquina França
Pais da Noiva Francisco Pinto dos Santos (++) e Teodora Maria de Siqueira
Testemunhas O Rev. Pedro José dos Reis e o Sgt.-mor Inácio de Loiola Freire Padre Antônio Galvão Freire
Nota Tinham impedimento de 3° de consanguinidade.

Foi oficial da Cia. de Mestre de Ordenanças da Vila de São Luiís do Paraitinga (Carta patente de 24.XI.1793). Em 1801 foi recenseado na 2 Cia. de Ordenanças da Vila de Cunha. Teve por ocupação a compra e venda de gado para o RJ. Posteriormente era negociante e lavrador no Bairro do Pico Agudo (Cunha) (Marcondes de Moura, Os Galvão de França, v1, 1972 pp 216). Recenseado em 1789, 1796, 1805 e 1825 (Maços de População, Arquivo do Estado de São Paulo, Cunha, 1789, pp 74; 1796, pp 64; 1801, pp 48, # 110; 1825, pp 84, # 63). Em 1801, já viúvo vivia com seu filho único José de dois anos, e declarou ser "agricultor \\ Vive com negocios de vender rezes para o Rio de Janeiro". Em 1830 declarou ser lavrador e criador de gados, com 200 alqueires de milho, 15 de feijão, 10 de arroz e 15 crias de gado. Declarou saber ler e escrever, podendo "ser empregado" (Maços de População, Arquivo do Estado de São Paulo, Cunha, 1835, pp 132, # 9).

Testou em Cunha (Cx. 27 1845).

Descende do Rei dos Reis Dario I da Pérsia, de Fernando I de Castela, Carlos Magno, Ramiro II das Asturias, de Addallah ibn Muhammed Sétimo Emir de Córdova, Hugo Capeto, William I o Conquistador da Inglaterra, Afonso Henriques e de João Gonçalves Zarco, descobridor da Ilha da Madeira.

Joaquina Zelinda de Siqueira was born in 1793 in Cunha, São Paulo, Brasil. She died after 1854 in Pico Agudo em Cunha, São Paulo, Brasil. She married José Galvão de Siqueira França in 1809.

They had the following children:

  M i Antonio Galvão de Siqueira França was born in 1810 in Pico Agudo em Cunha, São Paulo, Brasil. He died before 1814 in Pico Agudo em Cunha, São Paulo, Brasil.

Censo de 1810 (Maços de População, Arquivo do Estado de São Paulo, Cunha, 1810, pp 39, # 6).
  M ii Antonio Galvão dos Santos was born in 1814 in Pico Agudo em Cunha, São Paulo, Brasil. He died after 1845 in Cunha, São Paulo, Brasil.

Viveu em Mambucaba/RJ (1845) e depois mudou-se para Cunha (Marcondes de Moura, A História de Cunha, 1972 pp 217)
  M iii Joaquim Galvão dos Santos was born in 1815 in Pico Agudo em Cunha, São Paulo, Brasil. He died after 1854 in Cunha, São Paulo, Brasil.
  F iv Felicidade Clementina das Dores Galvão dos Santos
  F v Teodóra Maria Galvão de França was born in 1819 in Pico Agudo em Cunha, São Paulo, Brasil. She was christened on 18 Sep 1819 in Igreja Matriz de Cunha.

Batismo (L6 f--v) # Aos dezoito de setembro, de mil oito centos, e dezanove annos nesta matriz baptizei, e puz os santos oleos a THEODORA filha do alferes JOZE GALVAÕ DE SIQUEIRA, e JOAQUINA ZELINDA DE SIQUEIRA: foraõ padrinhos o alferes Joze Gomes dos Santos Pinto, e Theodora Maria de Siqueira solteira todos desta freguezia. \\ O coadjutor Joaõ Lutide Freitas.
  M vi Luís Antonio Galvão
  F vii Ana França de Siqueira
  F viii Maria Galvão de França was born in 1824 in Pico Agudo em Cunha, São Paulo, Brasil.
  M ix Jesuína Galvão de França was born in 1826 in Pico Agudo em Cunha, São Paulo, Brasil.
  M x Francisco Galvão de Siqueira was born in 1829 in Pico Agudo em Cunha, São Paulo, Brasil.

Foi eleitor de Cunha em 1854. (Marcondes de Moura 1972 pp 218)

Máximo Rodrigues Montemor was born in 1820 in Cunha, São Paulo, Brasil. He died after 1890 in Cunha, São Paulo, Brasil. He married Felicidade Clementina das Dores Galvão dos Santos.

Felicidade Clementina das Dores Galvão dos Santos [Parents] was born in 1817 in Pico Agudo em Cunha, São Paulo, Brasil. She died after 1869 in Cunha, São Paulo, Brasil. She married Máximo Rodrigues Montemor.

They had the following children:

  F i Joaquina Galvão de França
  M ii Francisco Rodrigues Montemor was born in 1858 in Cunha, São Paulo, Brasil.
  M iii Francisco Rodrigues Montemor was born in 1862 in Cunha, São Paulo, Brasil.
  F iv Teodóra Galvão de França

Manoel da Costa Montemor was born in 1820/1825 in Cunha, São Paulo, Brasil. He married Ana França de Siqueira about 1845 in (Igreja Matriz de Cunha).

Ana França de Siqueira [Parents] was born in 1822 in Pico Agudo em Cunha, São Paulo, Brasil. She was christened on 22 Dec 1822 in Igreja Matriz de Cunha. She married Manoel da Costa Montemor about 1845 in (Igreja Matriz de Cunha).

Batismo (L6 f--) # Aos vinte, e dois do mez de dezembro de mil oito centos, e vinte e dois annos nesta matriz baptizei; e puz os santos oleos a ANNA filha do alferes JOZE GALVAÕ DE SIQUEIRA e JOAQUINA EZELINDA DE SIQUEIRA: foraõ padrinhos Joaõ Pinto de Siqueira e dona Theodora Maria de Siqueira todos desta freguezia. \\ O Coadjutor Joaõ Carvalho de (...).


Francisco Lescura Banher [Parents] was born in 1786 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. He died after 1847 in Embaú em Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. He married Vitória Galvão de Siqueira França in 1808 in (Igreja Matriz de Cunha).

foi alferes da 3° Cia. de Ordenanças de Lorena (13.VI.1816) e teve fazenda em Embaú a partir de 1824. Com ele vivia sua tia-avó Ana Joaquina Galvão de França, já viúva de Felix Gomes de Siqueira. Foi simpatizando do Partido Liberal, e teve sua fazenda incendiada pelos governistas durante os saques ocorridos na região de Silveiras durante a revolta de 1842. Foi vereador de Guaratinguetá. (fonte: Marcondes de Moura 1972 pp 109ss e 218).

Vitória Galvão de Siqueira França [Parents] was born in 1782 in Cunha, São Paulo, Brasil. She died after 1850 in Embaú em Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. She married Francisco Lescura Banher in 1808 in (Igreja Matriz de Cunha).

Foi recenseada em 1789 (Maços de População, Arquivo do Estado de São Paulo, Cunha, 1789, pp 73). Já idosa e permanentemente acamada costuma relatar milagres feitos por seu tio Frei Galvão, e que serviram de base para o pedido de canonização deste último. (Marcondes de Moura, Os Galvão de França, V1, 1972 pp 110).

They had the following children:

  F i Francisca Lescura França
  F ii Maria Lescura França was born in 1810 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil.
  F iii Jesuína Lescura França was born in 1811 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil.
  F iv Ana Rosa Lescura França was born in 1812 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil.
  M v Manoel Lescura França
  F vi Escolástica Lescura França was born in 1814 in Cunha, São Paulo, Brasil. She died after 1873 in Cunha, São Paulo, Brasil.
  M vii Antonio Lescura Banher was born in 1818 in Bairro do Embaú em Cachoeira Paulista, São Paulo, Brasil.
  M viii Francisco Lescura França was born in 1825 in Bairro do Embaú em Cachoeira Paulista, São Paulo, Brasil.

Francisco Lescura Banher [Parents] was born in 1753 in São Julião, Distrito de Lisboa, Portugal. He died on 29 Nov 1796 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. He married Maria Nogueira de França in 1775 in Igreja de Santo Antonio de Guaratinguetá.

Foi alferes. Em 1776 voltou para Portugal para fazer companhia a seus pais. Voltando ao Brasil foi nomeado Tenente agredo a Cia. de Cavalaria de Ligeiros de Guaratinguetá. Em parceria ao tenente Belarmino de Assunção requereu uma sesmaria no Ribeirão do Jacu (Lorena). Foi escrivão do Juizo Eclesiástico da Vara de Guaratinguetá (Marcondes de Moura, Os Galvão de França, 1972, v1, pp 106, 218; v2, pp 493, 548)

Maria Nogueira de França [Parents] was born in 1759 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. She was christened on 24 Feb 1759 in Igreja Matriz de Guaratinguetá. She died on 28 Mar 1803 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. She married Francisco Lescura Banher in 1775 in Igreja de Santo Antonio de Guaratinguetá.

They had the following children:

  F i Ana Lescura França
  F ii Teodora Lescura França
  F iii Maria de Santa Rosa de Viterbo Lescura França was born on 22 Nov 1780 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. She died on 26 Dec 1818 in São Julião, Distrito de Lisboa, Portugal.

Era freira no Recolhimento da Luz em SP fundado por seu tio-avô Frei Galvão.
  F iv Escolástica Lescura França was born in 1783 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. She died on 02 May 1787 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil.
  M v Manoel Lescura Banher was born in 1784 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. He died after 1868 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil.

Foi comendador em Guaratinguetá e faleceu solteiro. Viveu com seu tio o cônego Manoel Lescura Banher, à rua Direita em SP até 1802. Foi menbro do partido conservador, foi coletor de rendas em Guaratinguetá, entre outros postos, onde vivia à rua Princesa Imperial (atual Coronel Virgílio). Toda a sua forturna em ouro e moedas era guardada por seu escravo de confiança que, após sofrer um derrame, ficou impossibilitado de dizer ao seu senhor onde escondia sua imensa forturna. Desesperado, Manoel escavou todos os cantos da casa, mas sem sucesso, após uma semana, ele também faleceu de desgosto. (fonte: Marcondes de Moura 1972 pp.108).
  M vi Francisco Lescura Banher
  M vii Antonio Lescura Banher was born in 1791 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. He was christened on 21 Jan 1791 in Igreja Matriz de Guaratinguetá.

Não se casou, mas teve duas filhas com Gertrudes Gonçalves de Oliveira. (fonte: Marcondes de Moura 1972 pp.113).

Manoel Galvão de Siqueira França [Parents] was born in 1784 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. He married Gertrudes Monteiro César on 27 Jan 1818 in Igreja Matriz de Pindamonhangaba.

Foi recenseado em 1789 (Maços de População, Arquivo do Estado de São Paulo, Cunha, 1789, pp 73). Aos 14 anos entrou para a 1 Cia. de Fuzileiros do Regimento de Infantaria de Milícias de Guaratinguetá (23.VII.1798). Tinha olhos azuis, cabelos pretos e media 5 pés e 2 pol. de altura (1,70m). Deu baixa em 29.VII.1801. Teve engenho de açucar no Bairro do Putim (Aparecida). Em 1836 já dedicava a cultura do café (Marcondes de Moura, Os Galvão de França, 1972, v1, pp 219; v2, pp 602, 605)

Gertrudes Monteiro César [Parents] was born in 1800 in Pindamonhangaba, São Paulo, Brasil. She married Manoel Galvão de Siqueira França on 27 Jan 1818 in Igreja Matriz de Pindamonhangaba.

They had the following children:

  M i Antonio Galvão de Siqueira César
  M ii José Galvão César was born in 1821 in Pindamonhangaba, São Paulo, Brasil.
  M iii Alexandre Galvão César
  M iv João Galvão Monteiro César
  F v Mariana Galvão de França
  F vi Maria Galvão César was born in 1829 in Putim em Aparecida, São Paulo, Brasil.
  M vii Manoel Galvão César
  F viii Maria Justina Galvão César
  F ix Maria Antonia Galvão César

Manoel de Cerqueira César [Parents] was born in 1763/1766 in Pindamonhangaba, São Paulo, Brasil. He died in 1839 in Pindamonhangaba, São Paulo, Brasil. He married Maria da Conceição Amaral in 1786 in Igreja Matriz de Pindamonhangaba.

Foi alferes de milícias em Taubaté (Marcondes de Moura, Os Galvão de França, v1, 1972, pp 220 & v2, pp 467, 617).

Maria da Conceição Amaral [Parents] was born in 1767/1768 in Pindamonhangaba, São Paulo, Brasil. She married Manoel de Cerqueira César in 1786 in Igreja Matriz de Pindamonhangaba.

They had the following children:

  M i João Monteiro Brasio
  F ii Gertrudes Monteiro César

João Galvão Monteiro César [Parents] was born in 1824 in Bairro do Putim em Aparecida, São Paulo, Brasil. He married Francisca Galvão Freire on 19 Jan 1855 in Igreja Matriz de Guaratinguetá.

Francisca Galvão Freire [Parents] was born in 1843 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. She died on 11 Apr 1873 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. She married João Galvão Monteiro César on 19 Jan 1855 in Igreja Matriz de Guaratinguetá.


Galdino da Silva Caldas [Parents] was born in 1845/1850 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. He married Maria Puresa das Dores Ferreira dos Anjos on 14 Sep 1867 in Igreja Matriz de Guaratinguetá.

Maria Puresa das Dores Ferreira dos Anjos [Parents] was born in 1845/1849 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. She died on 23 Sep 1868 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil. She married Galdino da Silva Caldas on 14 Sep 1867 in Igreja Matriz de Guaratinguetá.

They had the following children:

  M i Henrique Galvão dos Anjos was born in 1873 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil.
  M ii Alfredo Galvão dos Anjos was born in 1876 in Guaratinguetá, São Paulo, Brasil.

Home First Previous Next Last

Surname List | Name Index