Uma Teia de Família


Vicente José Gomes was born about 1750 in São Salvador de Moreira, Distrito do Porto, Portugal. He married Ana Maria de Jesus de Maia.

Ana Maria de Jesus de Maia was born about 1750 in São Martinho de Bougando em Maia, Distrito do Porto, Portugal. She married Vicente José Gomes.

They had the following children:

  M i José Gomes Maia

José Luís Torres was born about 1750 in Itaboraí, Rio de Janeiro, Brasil. He married Ana Joaquina Bernarda.

Ana Joaquina Bernarda was born about 1750 in Sé do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. She married José Luís Torres.

They had the following children:

  F i Joaquina Bernarda

Antonio José Maldonado was born about 1775 in São Gonçalo, Rio de Janeiro, Brasil. He died after 1822 in Itaboraí, Rio de Janeiro, Brasil. He married Teresa Maria da Conceição de São Gonçalo.

Teresa Maria da Conceição de São Gonçalo was born about 1775 in São Gonçalo, Rio de Janeiro, Brasil. She died after 1822 in Itaboraí, Rio de Janeiro, Brasil. She married Antonio José Maldonado.

They had the following children:

  M i Manoel Antonio Fernandes Maldonado

Joaquim de Oliveira Sousa was born about 1775 in São José (Cinelândia), Rio de Janeiro, Brasil. He died after 1822 in Itaboraí, Rio de Janeiro, Brasil. He married Joana Maria de Inhomirim.

Joana Maria de Inhomirim was born about 1775 in Inhomirim em Magé, Rio de Janeiro, Brasil. She died after 1822 in Itaboraí, Rio de Janeiro, Brasil. She married Joaquim de Oliveira Sousa.

They had the following children:

  F i Simplícia Rosa de Oliveira Sousa

MANOEL de Ornelas died after 1686 in São Mateus da Praia, Ilha Graciosa dos Açores, Portugal. He married CATARINA João.

CATARINA João died after 1686 in São Mateus da Praia, Ilha Graciosa dos Açores, Portugal. She married MANOEL de Ornelas.

They had the following children:

  M i MANOEL de Avila

MANOEL Correia Colaço died after 1686 in Santa Cruz, Ilha Graciosa dos Açores, Portugal. He married CATARINA de Melo.

CATARINA de Melo died after 1686 in Santa Cruz, Ilha Graciosa dos Açores, Portugal. She married MANOEL Correia Colaço.

They had the following children:

  F i MARIA de Melo

MANOEL de Avila [Parents] was born about 1655 in São Mateus da Praia, Ilha Graciosa dos Açores, Portugal. He died after 1711 in Santa Cruz, Ilha Graciosa dos Açores, Portugal. He married Catarina Alves about 1680 in Igreja de Santa Cruz da Ilha Graciosa.

Other marriages:
de Melo, MARIA

Segundo casamento (L1 f53) # Em os trinta dias do mez de setembro de mil seis centos e outenta e seis annos de l(icen)ça do r(everen)do vizitador, (...) forma concil(ii) trid(entini) recebi in face de igr(ej)a a MANOEL DE AVILA filho de MANOEL D'ORNELA e de sua m(olh)er CATHERINA JOAÕ com MARIA DE MELLO filha de MANOEL CORREIA COLASO e de sua molher CATHERINA DE MELLO freguezes desta matrix o quoal MANOEL DE AVILA era freguez do apostolado S(aõ) Matheus e tinha sido casado primeira vez com CATHERINA ALVES filha de PEDRO GONSALVES e de sua mulher IZABEL VAZ foraõ testemunhas o capitaõ Manoel de Vasconcellos, Simaõ da Cunha Frazaõ, Manoel Fernandes Silva e Joaõ Alvez e outras mais pessoas que prezentes estevaõ e por verdade fiz este termo que assignei dia, mes e anno ut supra. Manoel dos Reis.

Certamente, Manoel d’Avila pertenceu ao importante tto dos Ávila dos Açores e foi descendentes de Reignault IV de Bettencourt, já presente nesta genealogia.

Catarina Alves [Parents] was born about 1660 in Santa Cruz, Ilha Graciosa dos Açores, Portugal. She died on 30 Nov 1684 in Barreiro em São Mateus da Praia, Ilha Graciosa dos Açores, Portugal. She was buried on 01 Dec 1684 in Cemitério da matriz de São Mateus da Praia. She married MANOEL de Avila about 1680 in Igreja de Santa Cruz da Ilha Graciosa.

Óbito (L1 f53v) # Em o ultimo de novembro de mil e seis ssentos e outenta e quatro a(nnos) faleceo da vida prezente C(ATARI)NA ALVAREZ m(olh)er de M(ANO)EL D'AVILLA no Barreiro comfessou se naõ recebo os mais sacram(en)tos por os naõ perdirem a tempo naõ testou foi sepultada nessa matriz en sepultura de fabriqua de q(ue) fiz este termo era ut supra. \\ Manoel P(erei)ra de Novaes.


Pedro Gonçalves died in Santa Cruz, Ilha Graciosa dos Açores, Portugal. He married Isabel Vaz.

Isabel Vaz died in Santa Cruz, Ilha Graciosa dos Açores, Portugal. She married Pedro Gonçalves.

They had the following children:

  F i Catarina Alves

Diogo de Marins Loureiro [Parents] was born in 1568/1570 in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. He died before 1624 in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. He married Paula Rangel de Macedo about 1593 in Igreja da Sé do Rio de Janeiro.

Foi oficial da Câmara do Rio de Janeiro (1599), Segundo Provedor da Fazenda Real e Juiz da Alfândega.

Paula Rangel de Macedo [Parents] was born about 1573 in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. She died on 09 Sep 1654 in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. She married Diogo de Marins Loureiro about 1593 in Igreja da Sé do Rio de Janeiro.


Julião Rangel de Macedo was born about 1530 in (...), Portugal. He died after 1595 in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. He married Beatriz Sardinha.

Entre as biografias de personagem que ajuram a criar a face do Rio antigo, está a de Julião, que Elysio de Oliveira Belchior(Conquistadores e Povoadores do Rio de Janeiro, 1965, pp 385) narrou desta forma:

"Fidalgo da Case de El Rei D. Filipe I de Portugal e II da Espanha. Chegou ao Rio de Janeiro, em companhia do Governador-Geral Mem de Sá: um ano depois da conquista definitiva da cidade (1568) em despacho aposto à petição que lhe fora dirigida por Julião Rangel, acha-se consignado este fato. 'Viera comigo na Armada em serviço de Sua Alteza - disse Mem de Sá - e ajudara a guerrear neste dito Rio de Janeiro, constra os franceses e contrários, de que Deos me dera muita vitória'.
Não lhe foram proprícios os primeiros anos de moradia na cidade, pois em 1567 viu-se injustamente envolvido no que foi, ao que parece, o precursor dos crimes passionais do Rio de Janeiro: o assassinato do serralheiro Francisco da Costa, morto à flechadas no sítio da Carioca. Saiu absolvido do processo, mas por inadvertência deixara a cidade durante o inquérito, o que lhe valeu ser degredado por três anos no próprio Rio de Janeiro.
Aos 20 de março de 1568 alegou a Mem de Sá os serviços prestados nas guerras da Guanabara e narrou-lhe que ele 'Suplicante fora prezo e acusado nesta cidade da morte de hum Francisco da Costa de que saira solto e livre e que por hua dezobediencia de cometer ir se sem (...) licença desta cidade, sahira pelo dito caso condenado em tres annos de degredo para este dito Rio'; por isto pediu ao Governador 'lhe fizesse mercê de o habilitar para que sem embargo do dito degredo podesse servir qualquer oficio de que fosse encarregado nesta dita cidade e seus termos'.
Não teve dúvida Mem de Sá em deferir a solicitação, valendo-se dos poderes que seu regimento o investiu: 'Se alguns homens que para as ditas partes do Brasil forão, ou ao diante forem degradados, me fizerem lá taes serviços na terra ou no mar, que vos pareça que merecem, e devam ser habilitados para poder servir oficios ... caso não forem degradados por furto ou falsidades' - estatuia El-Rei - tinha o Governador o arbítrio de concedê-la ou não.
Tais oficios vieram-lhe logo a seguir. Escrivão da Câmara do Rio do Janeiro, em 1568, subscrevia-se em 1569 e 1570, como escrivão dante o Senhor Capitão Salvador Correa de Sá. Novamente nomeado escrivão do Conselho, por provisão dada em Salvador a 5 de outubro de 1571, registrada no Rio de Janeiro, a 24 de novembro de 1571. Aos 11 de outubro de 1571, ao ser também nomeado escrivão dos órfãos, referiu-se aos motivos que o levaram à Bahia.
Para obter este cargo, expôs a Mem de Sá que 'há sinco anos rezide no Rio de Janeiro em serviço de Sua Alteza sem neste tempo ter solido nem mantimentos do dito senhor, e ora veyo a esta cidade por mandado do Capitão Salvador Correa de Sá a pedir socorro a Vossa Senhoria para o Cabo Frio pede a V. Senhoria havendo respeito do assima dito lhe faça merce de hum officio de Escrivão de Orfaõns da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro sem embargo de o servir Pero da Costa tabelião das notas'.
Deferido o pedido, não foi pacífica a posse do cargo. Seu ocupante protestou contra a nova designação, apresentando embargos contra o ato do Governador, que de nada valeram, pois era certo de que 'por direito não podia acumular o cargo de Tesoureiro de Defuntos e Escrivão de Órfãos'. O juiz Antônio de Mariz não consentiu, por isso, que Pedro da Costa continuasse a exercer o ofício em apreço, mandando que entregasse a Julião Rangel, por inventário, os papéis e cartório, sob pena de multa de cem cruzados. O 'cumpra-se' do juiz é de 26 de novembro de 1571. Aos 26 de julho de 1583 foi provido por Salvador Correia de sá no cargo de Ouvidor, 'por ora esar vago o cargo de ouvidor desta cidade e capitania e eu não o poder servir por muitas ocupações que tenho com meu cargo de serviço do dito Senhor e com ajudar haviar a armada que vai para o estreito de Magalhães'.
Saiu eleito oficial do conselho, no ano de 1589. Aos 28 de fevereiro de 1592 subscreveu a carta doando aos franciscanos a ermida de Santa Luzia. Recebeu em sesmaria, aos 31 de janeiro de 1569, 1000 braças ao longo do mar e 1500 para o sertão, da banda dalém partindo com Sancho Rabelo, e, a 4 de setembro de 1589, obteve mais 3000 braças para o sertão em Guaasu. Consta ter recebido terras na Tijuca, que depois passaram para Gonçalo Correia de Sá e Martim de Sá; afirma ainda A. J. Melo de Morais ter sido o morro da Glória sesmado a 'Julião Rangel de Macedo, o qual passou a seu filho Francisco Rangel'.
Vivia ainda em 1595, quando o Pe. Provincial do Brasil, da Companhia de Jesus, recebeu instruções do Pe. Geral, para comunicar a 'um Julião Rangel, do Rio de Janeiro, que a licença que lhe deu o Pe. Beliarte para se sepultar na nossa Igreja e a sua mulher, filhos e filhas, que morressem em seu poder, não o entenda de maneira que haja de adquirir 'ius sepulturae'."

Beatriz Sardinha was born about 1550 in (...), Portugal. She died after 1595 in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. She married Julião Rangel de Macedo.

Foi irmã de D. Pedro Fernandes Sardinha, Primeiro Bispo do Brasil (Elysio de Oliveira Belchior, Conquistadores e Povoadores do Rio de Janeiro, 1965 pp 387).

They had the following children:

  F i Paula Rangel de Macedo
  M ii Baltasar Rangel de Macedo was born about 1575 in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.
  M iii Belquior Rangel de Macedo was born about 1577 in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.
  F iv Beatriz Rangel de Macedo was born about 1579 in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.
  F v Irania Rangel de Macedo was born about 1581 in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.
  F vi Isabel Rangel de Macedo
  M vii Gaspar Rangel de Macedo was born about 1584 in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.
  F viii Maria Rangel de Macedo was born about 1586 in Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Home First Previous Next Last

Surname List | Name Index